Confira Roseana Sarney na Sabatina O Estado

Confira Roseana Sarney na Sabatina O Estado

A primeira pergunta, feita a todos os candidatos: “Qual o motivo para se buscar o comando do Executivo”?
“A crise financeira no país e no Maranhão é muito forte. O sistema de saúde do Maranhão está falindo. O desemprego aumentou. Por isso eu decidi colocar meu nome à disposição para o Governo. Para tentar mudar esse quadro”

“Na minha gestão eu consegui tirar cerca de 500 mil pessoas da linha de pobreza. E agora os dados oficiais mostram que pelo menos 300 mil pessoas voltaram para a linha de pobreza. Isso é preocupante”
“Precisamos voltar com os programas sociais que foram encerrados, como o Viva Luz e pretendo criar outros programas, a exemplo do Viva Gás”

“Fizemos durante os meus governos e no último período uma infraestrutura muito forte no Maranhão. Trouxemos empresas de credibilidade, investimentos e isso atrai investidores. Isso aumenta o emprego e renda das pessoas”

Em relação aos impostos, o que faria?

“Em tempo de crise não se pode aumentar imposto. Porque se você aumenta o imposto, aumenta também o desemprego. O que eu faria seria o enxugamento da máquina”

“Em tempo de crise não se pode aumentar imposto. Porque se você aumenta o imposto, aumenta também o desemprego. O que eu faria seria o enxugamento da máquina”

“Estamos estudando, por exemplo a venda dos carros do Estado. Se utilizaria um cartão, para Uber e táxi. E isso não quer dizer que você deixaria desempregos os motoristas do Estado, quero deixar isso claro. Mas, em tempos de crise é necessário haver criatividade”

Roseana responde a pergunta de internauta, sobre o concurso da PM

Ela garante que chamará todos os aprovados no concurso da PM e que se submeteram ao curso regular. “Se fizeram o curso é porque estão aptos. Então, temos sim de chamá-los”

Roseana sugere o reaparelhamento da polícia e foco na inteligência

“A minha ideia é fazer um conselho com todas as polícias: PF, PRF, PM, Polícia Civil e Poder Judiciário e ouvir todos. Ninguém resolve nada sozinho”

“Foi o que fizemos em Pedrinhas. Fizemos um conselho e resolvemos o problema”

“Não concordo, de maneira nenhuma, em se fazer acordo com bandido. Num governo sério isso não existe”

Primeiro tema sorteado: Educação

“Mantemos a proposta de ampliar as escolas de tempo integral, e precisamos dar incentivo aos municípios”

“Estamos estudando acrescentar na grade do ensino médio, alguns cursos tecnológicos, a exemplo: curso de web designer, curso de games. precisamos ter uma educação mais qualificada”

“Precisamos também voltar a investir na qualificação dos professores. É muito difícil levar, por exemplo levar um professor de Exatas, ou de Línguas, para um povoado distante em alguns municípios. Precisamos rever isso”

“Precisamos estimular os nossos professores. Precisamos oferecer capacitação e melhorar os salários”

“Esse programa Escola Digna apenas mudou de nome. Porque deixei em caixa R$ 1,900 bilhão do BNDES para investimento na educação. Desse montante, pelo menos R$ 400 milhões para reforma e construção de escolas. O que ele fez foi mudar o nome do programa”

Segurança Pública, o segundo tema sorteado

“Precisamos ser linha duríssima nesse caso. Teria de abrir inquéritos, investigar e ir atrás desses membros de facções [que comemoraram aniversário em 2017]. A gente não pode deixar acontecer no Maranhão o que ocorreu no Rio de Janeiro”

Saúde, o terceiro tema sorteado

“Tínhamos agendado entregar 72 hospitais, e conseguimos entregar 62. Deixamos outros 10 hospitais prontos ou quase prontos: Santa Inês, Chapadinha, Imperatriz, Pinheiro… Mas infelizmente, os hospitais que deixamos, não estão funcionando, sobretudo os de pequeno porte. Os municípios recebiam R$ 100 mil por hospitais de 20 leitos. Hoje não recebem mais”

“A cobertura vacinal no Maranhão caiu a um patamar de 35%, isso acaba com idoso, com crianças. Estamos vendo agora o Sarampo voltando. Isso é um absurdo”

“Vou reabrir todos os hospitais e esse programa de vacinação vamos ter de retornar, com força”

“O programa de saúde que implantamos era muito interessante e garantia um atendimento à população de qualidade. Temos de voltar a parceria para os centros de hemodiálise, parcerias com as unidades municipais, investimentos nos nossos hospitais”

“Esse governo tem um equívoco muito grande. Você não é eleito governador de um lado, de um partido ou grupo político, mas sim, governador de todos os lados. Eu não era uma governadora de uma parte dos maranhenses, eu era de todos. Me sentia privilegiada por isso. Não se pode beneficiar aliados e prejudicar os demais”

“O prefeito de São Pedro dos Crentes, por exemplo, que está sempre nas redes sociais, é perseguido. O prefeito de Imperatriz também é perseguido, porque você não mandar recursos para a saúde do município, é perseguição”

Infraestrutura é o novo tema sorteado

“Pretendo retomar o projeto do Anel Metropolitano de São Luís. Não entregamos na ocasião, porque o Iphan não liberou a ponte da Ponta d’Areia para o Itaqui-Bacanga. Mas hoje algumas coisas mudaram e acredito que é possível”

“Pretendo também retomar o projeto do abastecimento de água, e o de tratamento de esgoto, que ficou estagnado”

“A obra do Anel da Soja, que é muito importante para aquela região, está parada. Queremos também promover o escoamento da produção do agronegócio por ferrovia”

“Como cidadã jamais desistirei do sonho da Refinaria Premium. Na época foi feita todo um estudo e o Maranhão foi o melhor local para se construir o projeto. Na época eu era líder do Governo Lula no Congresso e fomos para cima. O presidente Lula assegurou que iria construir e coincidentemente logo em seguida, eu assumi o Governo. O que poderíamos fazer? disponibilizar o terreno, estruturar o porto e preparar o espaço. O projeto não andou em seguida, na gestão Dilma, mas jamais desistiremos. Se for eleita, no primeiro dia estarei na porta da Petrobras para retomar o projeto”

Roseana fala da dificuldade de novos investidores acreditarem no Maranhão

Cultura é o novo tema sorteado

“A cultura do Maranhão hoje é uma tristeza. Está praticamente parada, no tempo e no espaço. E cultura é a nossa raiz, você tem de respeitar”

“É um pouco de ciúme [falta de investimentos na Cultura na atual gestão]. Você não tem mais as festas juninas, as bordadeiras estão abandonadas. Eu me encontro com os grupos folclóricos e eles dizem que está tudo parado. Os escritores não conseguem mais publicar seus livros, o Centro Histórico está abandonado”

Roseana fala agora sobre a situação do Centro Histórico

“Você precisa levar hotéis, pequenas pousadas, restaurantes, levar vida para o Centro Histórico. É preciso levar renda e as pessoas para a Praia Grande”

Roseana promete investir nas festas culturais: “Precisamos trazer o povo e as famílias para as festas”

Sobre os Lençóis Maranhenses

“Fiquei muito orgulhosa porque, por coincidência peguei uma manchete do jornal O Globo com 8 motivos para se conhecer o Brasil. 5 motivos eram relacionados ao Rio de Janeiro, e um dos motivos era os lençóis maranhenses. E se não fosse a infraestrutura que promovermos, as estradas, o abastecimento, o investimento nos lençóis, talvez não chegaríamos hoje a esse reconhecimento internacional”
A Sabatina chega ao final, e Roseana faz as suas considerações finais

“Tenho muita esperança de voltar porque a minha experiência me deixa bem posicionada. E a minha gestão não ocorrerá sozinha, se dará de forma compartilhada, junto as representações sociais. Vou atuar com pessoas capacitadas e que podem o ajudar o Maranhão voltar a crescer”

Por Milena Oliveira

Junte-se à discussão